10 heurísticas aplicadas ao Design de Interface

close share socialclose share socialclose share socialclose share social
10 heurísticas aplicadas ao Design de Interface
Uma forma de garantir a melhor experiência do usuário, entenda o que são as heurísticas de Nielsen

Uma forma de garantir a melhor experiência do usuário!

Um bom design de interface é aquele que torna a navegação do usuário pelo sistema rápida, agradável e, o mais importante, intuitiva. Ou seja, na primeira visita, os usuários podem facilmente executar e interagir com todas as ações da interface.

E uma forma de garantir a melhor experiência do usuário é por meio das heurísticas de Nielsen. Leia o artigo a seguir para saber o que são heurísticas e como elas podem ajudar a melhorar a usabilidade do produto.

O que são heurísticas?

Heurísticas são técnicas que o cérebro usa para solucionar problemas e encontrar respostas mais rapidamente. Eles são, por assim dizer, atalhos mentais intuitivos.

Por exemplo, sabe aquele momento em que lemos um texto rapidamente e conseguimos reconhecer qual é a palavra só de olhar para a primeira letra? Mesmo que às vezes esteja incorreto, é a maneira que o cérebro funciona para otimizar uma determinada ação com base em um conhecimento prévio.

Na linguagem da programação, as heurísticas funcionam da mesma forma, só que com os algoritmos. O sistema fica inteligente conforme o uso e compreende o comportamento do usuário dentro da interface.

Aplicar esses atalhos são essenciais para melhorar o UX (experiência do usuário) e UI (interface do usuário) do projeto, dessa forma a usabilidade do sistema fica fluída e amigável e, como consequência, aumenta a fidelidade do consumidor.

As Heurísticas de Nielsen

Desenvolvidas pelo cientista da computação e especialista em usabilidade, Jakob Nielsen, as heurísticas são amplamente utilizadas na área de UX/UI para verificar a qualidade e praticidade de uso de cada ícone na interface.

São uma série de 10 regras que, quando aplicadas no website ou aplicativo, orientam para uma melhor experiência de uso e visam garantir que o sistema seja fácil de usar e entender, melhorando assim a satisfação do usuário.

Portanto, as heurísticas são baseadas na ideia de que o usuário deve ser capaz de realizar qualquer atividade dentro da interface sem dificuldade significativa. Essas regras também são projetadas para garantir que o sistema direcione as ações do usuário para ajudá-lo a tomar decisões e concluir ações.

Confira a seguir quais são as 10 heurísticas de Nielsen!

As 10 heurísticas

  1. Visibilidade do status do sistema: os usuários devem sempre saber qual é o estado atual do sistema e o que está ocorrendo durante o uso. Como se fosse um feedback, por exemplo, quando é feito o download de um arquivo e é demonstrado na tela a porcentagem que falta para baixar.
  2. Correspondência entre o sistema e o mundo real: o sistema deve usar linguagem e conceitos familiares ao usuário. Também é possível utilizar ícones que representem determinada ação, um exemplo é a lixeira que significa excluir/jogar fora.
  3. Controle e liberdade do usuário: o sistema deve permitir que os usuários tenham o controle da situação onde possam anular ou refazer suas ações.
  4. Consistência e padrões: deve-se manter um padrão de linguagem na interface, mesmo que em diferentes contextos, para facilitar a compreensão do usuário.
  5. Prevenção de erros: o sistema deve evitar e prevenir que erros aconteçam. Um exemplo é ao excluir uma conversa no WhatsApp, aparece uma mensagem de aviso para que o usuário confirme a ação realizada.
  6. Estética e Design minimalista: o design da interface deve ser o mais simples e objetivo possível. Com o mínimo de elementos para evitar poluição visual e confusão de processos.
  7. Reconhecimento ao invés de lembrança: o sistema deve permitir que os usuários reconheçam com facilidade as informações e ícones. Tenha em mente que ele não tem obrigação de lembrar de todas as funcionalidades da interface. Um bom exemplo é o preenchimento automático de formulários.
  8. Flexibilidade e eficiência de uso: o sistema deve atender às necessidades de usuários avançados e iniciantes.
  9. Auxiliar usuários a reconhecer, diagnosticar e recuperar erros: Heurística fundamental para orientar o usuário sobre o erro ocorrido e como solucioná-lo. Deve ser apresentado com uma linguagem compreensível. O erro ao digitar uma senha é um exemplo.
  10. Ajuda e documentação: é importante disponibilizar um setor de ajuda para os usuários. Uma alternativa muito utilizada é o FAQ, perguntas e respostas mais frequentes.

Vieses cognitivos

Vieses cognitivos são distorções da mente humana que induzem a erros e levam a pré-julgamentos que impactam negativamente a usabilidade do sistema.

Portanto, podemos pensar nas heurísticas como um checklist de usabilidade essencial. Ao combiná-los com um bom design de serviço, você pode garantir que as interfaces sejam projetadas de forma a atender às necessidades do usuário e escalar seu negócio. Isso porque o trabalho do designer é focar em criar uma experiência personalizada, otimizada e satisfatória para os consumidores.

Por isso, vale a pena contratar o serviço de UX/UI para atualizar as interfaces do seu negócio e torná-lo escalável. Entre em contato agora mesmo com a equipe de profissionais da Domatech para desenvolver as estratégias e melhorar a experiência do seu usuário!